Blog

5 motivos para procurar um Psicólogo e não um taxista

08/07/2015 | Textos

Amigos, vocês devem ter visto que à poucos dias foi vinculada uma campanha de aplicativo de táxis com o slogan: “O psicólogo está caro? Converse com o taxista!” . Naturalmente achei essa campanha desrespeitosa com todos os colegas psicólogos e resolvi esclarecer qual a diferença de conversar com um taxista (ou amigo) e com um profissional da psicologia.

1 – SE CONSELHO FOSSE BOM….

Nossos amigos e taxistas (aparentemente) dão muitos conselhos para nós, eles dizem qual o melhor caminho que devemos seguir. O detalhe é que é o melhor caminho para pessoa que está aconselhando e não necessariamente para a pessoa que está ouvido ou o aconselhado. Já o profissional psicólogo NUNCA vai aconselhar seu cliente, mas vai (melhor do que isso) ajudá-lo a tomar consciência de quais as consequências de tomar esse ou aquele caminho. A decisão é sempre do cliente.

2 – CAPACITAÇÃO

Psicólogos fazem graduação em psicologia, ou seja, eles estudam diversas matérias relacionadas à personalidade, desenvolvimento e psicopatologias do ser humano que o ajudam a ter uma noção clara de como funcionamos. Dentro da graduação existem diversas abordagens que os alunos vão entrar em contato para decidir qual é aquela que ele gosta mais e que irá utilizar para fazer o tratamento de seu cliente. Aqui quero salientar que todas as abordagens são válidas e surtem efeitos.
Bem, nem preciso falar que os nossos amigos ou taxistas com certeza não possuem tal capacitação, embora possam ser bons ouvintes, não possuem uma metodologia apoiada em uma abordagem da psicologia.

3 – PLANO DE TRATAMENTO

O psicólogo capacitado desenvolve um plano de tratamento para seu cliente fazendo com que exista passos para o cumprimento e desenvolvimento do processo psicoterápico que visa o alcance da meta psicoterápica estabelecida entre psicólogo-terapeuta. *
Obviamente, um amigo ou taxista não possui tempo hábil e capacitação suficientes para desenvolver um plano de tratamento sólido e coeso que resulta no desenvolvimento e melhoria do outro. O que eles fazem é colocar aquilo que observam que não necessariamente levará a uma modificação de comportamento.

* podem existir variações segundo a abordagem psicológica utilizada

4 – ESTUDO DE CASO

Acontece algo que poucas pessoas sabem: a sessão psicoterapêutica não acontece apenas nos 50 minutos, mas também depois que o cliente vai embora. O profissional psicólogo está sempre estudando o caso do cliente para que assim possa oferecer uma ajuda efetiva, através de estruturação de técnicas e métodos que podem potencializar o tratamento.
Os amigos e taxistas naturalmente não possuem ferramentas suficientes para realizar um estudo de caso, por mais que sejam pessoas experientes e vividas, eles não possuem técnicas ou métodos.

5 – ATENÇÃO CENTRADA

Aqui a diferença é bem obvia. Se eu estou em um táxi, espero que este profissional esteja inteiramente centrado no trânsito (foi esse serviço que contratei). Claro que o taxista pode prestar atenção a mais de uma coisa ao mesmo tempo, mas se for para eu escolher prefiro sinceramente que ele esteja atento ao trânsito. Com a atenção dividida ele pode até ouvir o passageiro, mas estará mais ocupado com o que está acontecendo envolta do que com o que o passageiro fala (assim espero!).
No consultório clínico (mesmo em grupo) a atenção do psicólogo está centrada inteiramente no cliente, no que ele diz (através do verbal) e também no que ele não diz (não-verbal) que são sinais do que acontece dentro do cliente e ao serem colocados, podem ajudar a trazer para o explícito aquilo que era implícito.

Quero acrescentar que respeito muito os taxistas e solicito sempre seus serviços. Acredito que essa campanha publicitária foi apenas uma infeliz campanha e que vocês não tinham a intenção real de nos ofender. Ontem saiu uma nota de desculpas (você poderá ler na integra aqui) como profissional da área e apaixonada pelo o que faço, quero dizer que aceito a nota de esclarecimento e espero sinceramente que não se repita. Todos somos bons e importantes naquilo que fazemos.

  • Compartilhar: